Logo Casa Branca Imobiliária


$array_posts['posts']['0']['alt']

O que você precisa saber sobre financiamento de imóveis para aposentados


Ambientes - Setembro, 2021

..

O que você precisa saber sobre financiamento de imóveis para aposentados

 

Recentemente, nós da Casa Branca Imobiliária recebemos esta pergunta: "É possível financiar um imóvel sendo uma pessoa aposentada?". E a resposta é: Sim!

Na prática, esse tipo de transação é semelhante ao financiamento para pessoas que ainda atuam no mercado de trabalho. Porém, existem algumas características e regras que são próprias para esta modalidade.

Por isso preparamos este artigo para que você tenha em mente que é possível sim, conseguir crédito imobiliário sendo aposentado. Apresentaremos como é o funcionamento, o que é preciso fazer, ou seja, as principais regras e as taxas de juros. Além disso, como é possível fazer este financiamento mesmo que você tenha um empréstimo em andamento.

 

Financiamento imobiliário para aposentados, quais são as regras?

O financiamento de imóveis para aposentados segue os mesmos padrões que o financiamento para trabalhadores que estão em atividade. Ou seja, a pessoa interessada deve conseguir crédito, solicitando um valor junto a uma instituição financeira. O valor solicitado será o total destinado para compra do imóvel, sendo ele novo ou usado.

De maneira simples, a instituição financeira fará o pagamento do bem, e a pessoa solicitante fará o pagamento para a instituição financeira durante um período pré-determinado.

Existem dois principais programas de crédito imobiliário, sendo o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI).

Vejamos as diferenças de cada um, lembrando que estas são as regras gerais para financiamento. Após, veremos as peculiaridades para aposentados, que são poucas:

No Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), as regras principais são: ele abrange tanto pessoas físicas quanto jurídicas; é criado para imóveis acima do limite do SFH (que veremos em seguida); os recursos são provenientes de investimentos dos clientes e da instituição financeira, também do SBPE; a modalidade é de alienação fiduciária, onde o cliente passa a ser dono do imóvel quando paga a última parcela; não é estipulado um limite do comprometimento da renda, nem um teto máximo para o valor do imóvel a ser adquirido; porém existe um prazo máximo para o pagamento da dívida que é de 420 meses e o valor pago pelo financiamento fica em torno de 80% e 90% do valor total do imóvel.

 

No Sistema de Financiamento da Habitação (SFH), as regras são bem mais restritivas. Para se ter uma ideia, o maior exemplo de financiamento nesta modalidade é o Minha Casa Minha Vida. Sendo assim, o financiamento pode atingir no máximo, 90% do valor do imóvel, tendo o mesmo o prazo de 420 meses para pagamento total; diferente do exemplo anterior, existe limite para o valor do imóvel e é destinado apenas a pessoa física; existe também a limitação de renda pois é permitido o comprometimento de apenas 30% da renda do contratante.

 

Lembrando que nos dois casos estas são as regras principais, alguns outros detalhes devem ser analisados quando feita a escolha do financiamento, junto da instituição financeira.

Depois de feita a escolha do tipo de financiamento a pessoa interessada realiza a simulação, faz a entrega de documentos para a instituição financeira, aguarda que seja realizada a aprovação do crédito, e então assina o contrato para conseguir a liberação do valor.

Existem modalidades de crédito onde entra o empréstimo consignado, que também pode entrar no financiamento de imóveis para as pessoas aposentadas.

Uma observação que deve ser feita, é que os prazos para pagamento do financiamento para aposentados são diferentes do que para as pessoas que ainda estão no mercado de trabalho.

Alguns motivos para que este prazo seja diferente é que o benefício recebido por pessoas aposentadas, geralmente é mais baixo. Os prazos são limitados para no máximo 20 anos e o custo do seguro tende a ser maior.


Prazos de financiamento

Os prazos para financiamento de imóveis no Brasil levam em consideração a expectativa de vida média da população que, para homens é de 73 anos e para mulheres é de 80 anos. Na média, para as instituições financeiras, estas consideram a idade de 75 anos. Por esta razão é que o prazo para pagamento do financiamento é limitado dentro do período de 20 anos, levando em consideração que as pessoas aposentadas já têm mais do que 60 anos. Se o aposentado já tiver 70 anos, o prazo máximo para o financiamento fica em apenas 10 anos.

As instituições financeiras não costumam abrir crédito imobiliário para pessoas que tenham acima de 80 anos, porém existe uma análise no perfil do cliente para decidir se será ou não concedido o crédito, e isso é particular a cada instituição financeira.

 

Valor do benefício

Para uma pessoa aposentada realizar seu financiamento, existe uma barreira que é a comprovação de renda. Devido ao fato de muitas pessoas terem este benefício baixo, é exigida uma comprovação de que realmente será possível arcar com o valor do financiamento durante o período estipulado.

 

Custo do seguro

O seguro de Morte em Invalidez Permanente (MIP), é um dos pontos que integra a parcela do financiamento. Este seguro é obrigatório e serve para ser uma garantia perante a instituição financeira em caso de invalidez permanente ou morte da pessoa compradora. Nesses casos, ocorrendo o resgate do empréstimo.

O valor do MIP muda de acordo com a idade da pessoa, considerando os riscos maiores para as pessoas na terceira idade.

Sendo assim, o valor do financiamento passa a ser maior por causa deste seguro e o tempo para pagamento fica menor.
 

Taxas de Juros

No que diz respeito às taxas de juros, elas variam de acordo com o tipo de financiamento. Sendo assim, são determinados pela origem dos recursos. Em linhas gerais, um exemplo é que, se os recursos forem provenientes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) custam cerca de 3% ao ano, acrescido o valor da oscilação da taxa referencial (TR) que é o índice que corrige a caderneta de poupança. Já se for proveniente da poupança, a pessoa deverá pagar o custo da taxa referencial acrescido de 6,17% ao ano. Também é importante lembrar do spread bancário.

Porém, a forma mais correta de saber as taxas envolvidas na transação é consultar a instituição financeira escolhida.

Quem já tem um empréstimo em andamento pode realizar um financiamento?

A resposta para essa pergunta é: Sim! Porém, é necessário avaliar o total da renda e comprovar que poderá saldar a dívida dentro do período estipulado.

 

Ficou com alguma dúvida?

Entre em contato conosco, da Casa Branca Imobiliária, que teremos o maior prazer em auxiliá-lo neste momento tão importante.


mail_outline